PopBrasil: Quando a WhiteJets mudou seu nome

Em 2013, numa tentativa de adaptação ao mercado, a WhiteJets mudou de nome, se tornando na Pop Brasil. A ideia era transformar a empresa numa companhia aérea de baixo custo (low-cost) dedicada agora aos voos regulares.

O nome escolhido apontava uma intenção de tornar o nome, ao mesmo tempo, mais “brasileiro” (num momento em que passou a ser mais valorizado o uso do português, no lugar do inglês) e mais popular; “Po1024px-Tp85_Sud_Aviation_Caravellep Brasil” não podia ser mais direto.

Na informação passada à imprensa, e publicada em março de 2013, a companhia anunciava a intenção de acrescentar 4 novos aviões ao único A320 que ainda estava em operação: dois Boeing 737 e mais dois Boeing 767. À época, a WhiteJets já havia desistido de seus “velhinhos” A310, que vinham denegrindo a imagem da empresa junto de um público cada vez mais exigente sobre a qualidade do serviço.

A nova Pop Brasil afirmava que os preços dos voos regulares seriam “competitivos” e já tinha planejado quais seriam as rotas regulares, antes mesmo de sair a licença da ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) para essa atividade. A Pop Brasil voaria às segundas, terças, quartas e sextas no sentido Manaus-São Paulo, com paragens em Brasília e no Rio de Janeiro. O avião sairia de manhã cedo, iniciando o regresso à Amazônia ao meio da tarde. No fim de semana, teria uma rota direta Manaus-Rio. A empresa estava planejando também outras rotas:

  • Belo Horizonte-Brasília-Campo Grande (MS)
  • Rio de Janeiro-Belo Horizonte-Natal-Fortaleza

Todavia, todas estas ideias nunca viriam a sair do papel. Os 4 aviões Boeing nunca chegaram, e apesar de o novo site da empresa, “voepop”, ter funcionado e oferecido todas as informações aos usuários, em cerca de 6 meses a OMNI fez regressar a Portugal o Airbus A320, privando a WhiteJets de meios para trabalhar e quase anunciando seu fim, que chegaria em 2014.

Add Comment